Deixa eu te pedir um favor? Não vem me fazer de boba. Me deixa quietinha em meu canto. Continua fingindo que eu não existo, continua sem mandar mensagem alguma. Não confunde minha cabeça aparecendo depois, de surpresa. Eu não quero você, de repente, pra bagunçar os meus planos. Faz a gentileza de sair do meu peito e devolve a chave que eu te dei um dia. E não se atreva em querer entrar depois que eu trancar meu coração.

Sim. Continua por aí, sumido. Mas some de uma vez e não se arrepende. Facilita as coisas pro meu lado. Não usa esse olhar de quem não tá entendendo nada. Apaga da sua mente a palavra “saudade” e põe na cabeça que, um dia, as pessoas se cansam. Se cansam de esperar pelos convites nunca feitos. Se cansam de se colocar sempre à disposição. As pessoas, simplesmente, desistem de esperar por mudanças que nunca ocorrerão.

Pois, é. Você nunca mudou.

Então, deixa eu te pedir um favor? Dessa vez, é muito importante! Esquece que sou seu brinquedo. Esquece a ideia de que eu não resisto ao seu chamado e ao seu estalar de dedos. Decide logo seu rumo, parte logo pra outra. Para de me guardar na gaveta e só abrir quando tá carente. Eu não fui feita pra isso. Você perdeu sua chance de fazer diferente. Você se perdeu em um milhão de desculpas.

Depois que eu fugir da sua vista, não vem me dizer que eu tô estranha. Depois que me ver saindo com outro, nem se atreva em querer me cobrar explicação. Eu estive aqui o tempo todo, desejando sua companhia, te chamando pra entrar na minha vida, enquanto você só sabia dizer não. Eu sei que mais dia ou menos dia, quando você se der conta que eu tô longe, você vai sentir falta da gente. Mas por favor, eu te peço: não vem me comprar com lembranças se você não vai se fazer presente. 

Deixa vai… Me deixa! Me deixa livre de ti pra eu ser quem eu era antes. Quero voltar a ser leve. Quero sonhar sem ter culpa. Se responsabiliza pelos seus atos, e, dessa vez, vê se assume seus erros. E não venha falar depois que eu não te dei muita opção — você ganhou o que queria. Então, vai, pega sua liberdade e apaga meu nome da lista. Esquece que um dia eu fui sua. Eu te peço, eu repito: não me acorrenta feito escrava, não me prende em seus passos se você não quer mais andar comigo. Eu não quero ser só mais uma.

Eu não fui feita pra isso.

 

 

Camila Barretto.