Aconteceu de novo.
Já passava da meia noite quando abri os olhos e não consegui mais pegar no sono. Mas, a visita rotineira da noite passada não foi só da saudade. Foi pior. Foi tesão misturado com a vontade pontiaguda de ser tua. No desespero de acordar de um sonho erótico, em que a gente se amava como se fosse o Fim do Mundo, meu corpo despertou, de repente, e se viu ressaqueado pela fome de devorar você. Uma fome que só você alimenta e faz crescer.

Abri os olhos, mas ainda parecia tão real sua presença e seu jeito doce de beijar minha nuca. Parecia tão real que tentei fechá-los de novo, só para retomar do exato momento de onde paramos. Infelizmente, com o desejo em alta, não consegui me concentrar em outra coisa. Eu só queria suas mordidas cuidadosas em minha pele, enquanto seus dedos explorassem com destreza o meu corpo e cada ponto, de A à G. Foi aí que me toquei desejando sentir seu toque, e logo me encontrei sufocada por um gemido reprimido.

Batimentos cardíacos acelerados. Lágrimas me pedindo permissão pra cair. Eu não queria gozar se não fosse contigo. Me contorci. Me controlei. E guardei meu prazer pra você. Fiquei em silêncio, lembrando meus gritos de amor ao pé do teu ouvido. Seu nome, deixei preso em minha garganta. Seu gosto, escondi num canto da boca. Pra você, guardei essa tara de te querer a todo custo. Por você, apertei o travesseiro da mesma forma que queria agarrar seu corpo. Nessa noite, eu não te larguei.

Era quase três e meia, e eu ainda me virava, de um lado pro outro, desejando revirar, do mesmo jeito, teus olhos e teu juízo. Pra anular, de uma vez, minha vontade insana de te ligar de madrugada, peguei o celular e te escrevi esse texto. Me pus a digitar essas palavras na velocidade intensa de um orgasmo múltiplo. Te escrevi um punhado de palavras obscenas só pra conseguir dormir de novo e pra te dizer que hoje, passarei o dia nesse martírio de não sermos um do outro. Passarei cada segundo do meu dia, ansiando terminar o que nós começamos ontem — no banco do carona do seu carro e no meu sonho interrompido. Eu quero você, de novo, mordendo lentamente meu pescoço. Eu quero seu corpo tomado de fogo, me convencendo que vale a pena devorar cada pedaço de você.

_Camila Barretto.