Esse texto era pra ser uma mensagem que eu queria te enviar às 2 e 57 da manhã, mas desisti. Esse texto era pra te dizer que eu não sou tão durona quanto pareço ser. Eu tenho um coração sensível e eu sinto sua falta, mais do que você imagina. Mas se eu estou acordada a essa hora da madrugada, lembrando da gente e rolando pela cama, a culpa é sua, — e olha que você já sabe o quanto eu adoro dormir. 

Se estou acordada é porque tô pensando se você está se alimentando direito ou se está dormindo bem. A insônia de hoje, tem um gosto particular do seu beijo e um cheiro exagerado de saudade. E quem sabe, tem até relação com o fato de você ter confessado que está apaixonado por mim. A insônia de hoje tem a ver com o acúmulo de carinho que venho guardando no meu peito, mas pouco posso demonstrar no dia-a-dia. Essa insônia carrega seu nome difícil, seu sorriso fácil, e o peso dos abraços que quero te dar desde o mês passado, — mas não tive tempo. Carrega, inclusive, o desejo descomunal de estar contigo toda semana e a angústia de te ver adiando, sucessivamente, os nossos encontros.

Aliás, são quase vinte dias sem tirar sua roupa e sem beijar seu corpo inteiro. São quase vinte dias sem ser a mulher completa que eu gostaria de ser pra você. Você tem noção do que são vinte dias sem te ter nos meus braços? São vinte — eternos e infindáveis — dias em que eu te desejo da hora que acordo à hora que eu vou dormir. São cerca de 480 horas querendo estar contigo, mas tentando, de todo jeito, te tirar da minha mente. Me diz então, qual o segredo pra você conseguir ficar tanto tempo longe de mim?

Esse texto era só pra te dizer que eu não te esqueço, até mesmo de madrugada, e nem mesmo sabendo que vou ter que trabalhar no dia seguinte. É pra te lembrar que não importa se eu te vi ontem, se hoje é terça-feira ou se acordei às 6h da manhã morrendo de sono: eu sempre estarei pensando em quando nos veremos de novo. Como disse, eu queria te mandar essa mensagem às 2 e 57 da madrugada. Mas achei melhor te enviar agora de manhã, com a desculpa boba de te desejar “bom dia” e com a intenção, mais boba ainda, de repetir: por sua culpa, eu não consegui dormir.

 

_Camila Barretto.