“E de repente, a vida te vira do avesso e você descobre que o avesso é o seu lado certo.” (autor desconhecido)

Já tive muitas paixões nessa vida. Muitas delas, não deram em nada, só configuraram um sentimento platônico pra minha vasta coleção. Já tive paixões “meia-boca”, algumas que só duraram quinze dias e pequenos amores que se transformaram em grandes decepções. Já tive até paixão que nem era paixão de verdade; era apenas fogo de palha que se apagou no primeiro beijo. Eu, com esse jeito de levar a vida, já me deixei apaixonar diversas vezes. Mas paixões como a tua, admito, só vivi uma vez.

Você teve a sorte de conhecer, em primeira mão, uma outra versão minha, que eu vinha ignorando há muito tempo. Eu te confiei meu lado escondido, e sei que, desde o início, isso te surpreendeu. Afinal, quem imaginaria que, ao contrário da minha cara de santa, eu seria uma louca? Ou que, por detrás da minha pele de cordeiro, haveria uma loba faminta por prazer? É que você me revira e me vira do avesso. Com você, de maneira inédita, algo em mim aconteceu: eu te entreguei, pela primeira vez, uma mulher recém-descoberta em meu íntimo. E a primeira vez, você sabe, ninguém é capaz de esquecer.

Mas essa entrega também foi difícil, justamente, pelas suas consequências. Uma vez despertada a Deusa Adormecida, ela não mais se calou. Foi difícil conseguir dormir, certas noites, sem doar-te meu corpo repleto de desejo. Foi horrível conter minha vontade de beijar tua boca e de fazer amor do “nosso jeito”. Foi insano me ver subindo pelas paredes, feito mulher descontrolada, consumida por tanta libido. Foi difícil, horrível e insano, porque, muitas vezes, você se fez ausente quando eu mais te precisei. E isso me doeu de uma forma, como nunca imaginei.

Por mais que eu não queira passar por isso de novo, eu não posso afirmar que nunca mais me entregarei pra outra pessoa. É óbvio que, mesmo nos blindando de certos sentimentos, estamos suscetíveis a nos esbarrar, a qualquer momento, com um desejo mais forte que a nossa autoproteção. Mas também não consigo ignorar o fato de que, com você, vivi algo diferente. Contudo, ao mesmo tempo em que sinto uma euforia em saber disso, eu tenho medo. Afinal, se você acordar e for embora para sempre, o que vou fazer com minha nova versão?

Minha Deusa interior, de pronto, me responde: “uma mulher virada do avesso, nunca mais, será a mesma. Por isso, continue desse jeito. Seja, simplesmente, você!”

 

 

 

Camila Barretto.

“Este texto faz parte da 2ª edição do Desafio das Palavras (Camila Barretto x Giulia Christy) – um jogo proposto com o objetivo de versar sobre temas vindos de fora pra dentro; inspirar-se ao contrário. Duas escritoras, cada uma com seu olhar sobre o tema/título.”