Às vezes, tenho essa sensação de que estou interessado em pessoas que estão sofrendo por outras pessoas. Então, rola a maldita presunção de julgar quem eu gosto, e esperar que um dia, ela abra os olhos e veja que merece alguém melhor. E, enquanto penso nisso, em nenhum momento acordo pra perceber que, muito provavelmente, eu também mereça alguém que sinta por mim o que eu espero de quem não sente. Talvez, e somente talvez, a gente precise a ser ensinado a gostar das pessoas. Ou reeducado. A forma como nos ensinam, não funciona, e a gente sofre, e se desespera, e comete erros, e se envolvem em relações que nos machucam porque a gente acaba achando que essa dor faz parte; pra depois, devorar livros e séries que abundam sofrimento para somente, num idealizado final, alguém se tornar feliz para sempre. A gente se ilude, feito poeta que escreve o que acredita sentir. Poetas não amam, não conhecem o amor. O que eles sentem é outra coisa, um novo termo que ainda não conseguiram inventar.

 

— Vini Severo (Escritor Parceiro)

– – – – – – – – – – – – – – – – –
Um pouco sobre ele: Vinícius Severo, 32 anos, nascido e forjado no Rio Grande do Sul. Curso História e trabalho como jornalista. Não sei se o gosto pela leitura veio antes ou depois do delírio que tenho por boas conversas. E quando não estou em uma mesa de bar, alucinado em assuntos aleatórios com os amigos, converso com as palavras que se transformam em poesias, versos ou contos.

Página: www.facebook.com/textosdovinisevero.