Desculpa incomodar o silêncio da sua viagem, mas venho aqui, humildemente, te pedir um minuto da sua atenção. Eu não quero pedir muito, fique tranquilo. Eu não quero seu dinheiro, moço. Tudo o que eu te peço, não tem preço, tem que vir do coração.

Tudo o que eu quero por hoje é um abraço, que, de tão apertado, me faça sentir o calor do seu corpo. Preciso de um abraço sincero, demorado, daqueles que damos em silêncio sem se preocupar com o barulho do mundo alheio. Eu não queria pedir demais, mas nesse tempo de chuva, preciso do seu abraço-agasalho, que foi feito exatamente pra caber nós dois.

Tudo o que eu quero por hoje é um beijo gostoso, daqueles que, antes de qualquer desejo, demonstram afeto e carinho. Um beijo tranquilo ou roubado, concedido sem muitos rodeios ou sem qualquer explicação. Eu nem queria tá te pedindo isso, confesso, mas nesse tempo de crise, eu ando sentindo uma fome de amor insaciável. E não posso mais viver de migalhas, de restos de algo que eu nem sei dar o nome.

Ei, moço. Não faz isso comigo, não. Não finja que está dormindo, não aja como quem não entendeu. Sei que eu nem devia tá pedindo esse tipo de coisa, encarando essa situação. Mas é que por hoje – só por hoje – eu precisava de um minutinho da sua atenção.

Camila Barretto.