Pode ser que a gente não dure. Pode ser que não tenhamos tempo demais, ou que você seja só uma história para os meus netos, ao invés de ser o avô. Mas sei que igual a ti, é raro. Nossa sintonia, conexão, a conversa corriqueira que parece interessante demais. A vontade de te ver que nunca cessa, o beijo sempre intenso e em paz.

Pode ser que daqui um mês algo aconteça, e tudo se acabe, e então irão perguntar pra onde foi o famoso amor que eu sentia, a inspiração pra poesia… Eu vou rir, e falar que não sei. Mas a verdade é que estará sempre aqui.

Nosso contraste, nossa risada, nossas histórias… Criamos um universo só nosso, com coisas únicas demais para serem utilizadas com outros. Nossa estrelas, quando juntas, brilham de forma excepcional.

Eu que sempre fui quieta, sem procurar pelo amor, sem ver ligação nas pessoas, ou me conectar com elas, te enxerguei. Enxerguei o outro lado, o que você esconde. Achei as particularidades e guardei tudo entre nós.

Eu que sempre fui tranquila com o tempo, me preocupei com a rapidez que ele passava… Como eu disse, é bem provável que a gente não dure, mas eu sempre vou querer um pouco mais.

Deita aqui e me beija, mexe no meu cabelo, me abraça e afasta tudo, que eu quero só nós. Quero os seus olhos encontrando os meus, quero sua voz. Quero que a gente desate os nós, atrase o relógio, só pra confundir a vida, e te deixar mais tempo aqui.

 

– Gi Farneti (escritor parceiro)

– – – – – – – – – – – – – – – – –
Um pouco sobre ela: Uma simples estudante do Ensino Médio, que em meio ao caos do monótono cotidiano, e das profundas paixões, faz das palavras, o seu abrigo. Caminhando pra cursar Direito, fez-se poesia! Percorre os extremos entre ódio e amor em cada verso!
Página: www.facebook.com/gifarneti