Num canto da alma
Escondo a solidão
Só assim tenho calma
E me dou o perdão.

Visito este cantinho
Quando a saudade vem
Se choro, é baixinho
Pra não acordar ninguém.

Paulino Solti (escritor parceiro)

– – – – – – – – – – – – – – – – –

Um pouco sobre ele: de dia, analista de sistemas; à noite, um poeta em construção. Um ser que oscila entre exatas e humanas, tal qual sua personalidade: uma gangorra em que brincam o “pé no chão” e o “sonhador”.

Página: www.facebook.com/paulinosolti