O relógio aponta para às 8h50 da noite, o meu coração bate descompassado avisando que se aproxima a sua chegada. Esborrifo o perfume, coloco o infalível batom vermelho, checo os retoques finais. Me analiso em frente ao espelho e me defino em beleza e ansiedade. No horário previsto, pontualmente, ouço a buzina do seu carro. Dá um embrulho na minha barriga, sorrio sozinha imaginando o que a noite reserva pra gente, enquanto você, insistentemente me chama. Pego a bolsa e apresso os passos para te ver. Entro no carro e noto o seu sorriso corrompido em cima de mim. Os nossos olhos iniciam um diálogo muito particular, eles entregam de bandeja aquilo que o nosso coração almeja: o desejo de desejar e de ser desejado.

Redundante? Talvez. Porém, essas são as palavras que determinam, de forma mais precisa, o nosso encontro.

Você me olha como um cachorrinho sem dono, no mesmo tempo que imprensa os lábios com os dentes para chamar a minha atenção. A arte de sedução funciona direitinho, assumo que é tentação e charme suficientes para conseguir resistir a tanto. Cheiro o seu pescoço vagarosamente na intenção de te querer um pouco mais, mordo o canto da sua orelha direita, mesmo sabendo que é jogo baixo, na medida em que suas mãos deslizam, delicadamente, sobre minha cintura. Nos beijamos sem pudor; eu, como escrava, você, como o dominador. Meu corpo arrepiado, o seu todo suado, agora já estamos colocados, fervendo no calor das emoções.

Inundados pela loucura que visivelmente, quase nos incendeia, transpirando e pirando, fazemos amor de maneira peculiar, fod**** os nossos corpos e fundindo as nossas almas. Esse mesmo amor nasce em nós de um jeito que é só nosso. Um amor que queremos, cada vez mais, nutrir e fazer crescer; um amor que não se prende a nenhum conceito, que é desafiador e, quem sabe, até proibido. Um amor bonito, gostoso e que dá sentido. Pouco sei dizer, mas muito sentir. Aqui estamos: sem roupas, sem vergonha, sem reservas e sem juízo.

E olha que o nosso passeio está apenas começando…

 

Giulia Christy (escritor parceiro)

“Este texto faz parte da 2ª edição do Desafio das Palavras (Camila Barretto x Giulia Christy) – um jogo proposto com o objetivo de versar sobre temas vindos de fora pra dentro; inspirar-se ao contrário. Duas escritoras, cada uma com seu olhar sobre o tema/título.”